“NANDO” Líder de grupo de extermínio do Danúbio Azul vai a sexto julgamento

Assassino em série já foi condenado em quatro casos e penas somam 73,3 anos de prisão
Já condenado por quatro homicídios e uma ocultação de cadáver, com penas que somam 73,3 anos de reclusão, Luiz Alves Martins Filho, o Nando, será submetido ao sexto julgamento, nesta sexta-feira (26), pela 2ª Vara do Tribunal do Júri. Nando responde por vários assassinatos e é considerado serial killer, líder de um grupo de extermínio qua agia na região do bairro Danúbio Azul, em Campo Grande.
No júri de sexta, Nando responderá pelo homicídio de Bruno Santos Silva. Ele ainda responde a outras oito ações penais e, outras duas sessões de julgamento já estão marcadas para ocorrer em maio, sendo uma no dia 10, pelo assassinato de Ariel Fernando Garcia Lima Teixeira, e outra no dia 17, em que será julgado pelo assassinato de Faniel Gomes de Souza Carvalho.
Nos seis processos restantes, data do júri ainda não foi marcada. Os processos tramitam na 1ª e 2ª Vara do Tribunal do Júri.
No total, foram oferecidas 15 denúncias de homicídio contra Nando, com cinco júris já realizados.
CONDENAÇÕES
O primeiro julgamento aconteceu no dia 29 de junho de 2018, pela morte da vítima conhecida como “Café” ou “Neguinho”. Neste caso, o acusado foi condenado a 18 anos e três meses de prisão e o processo está em grau de recurso.
No dia 22 de novembro do ano passado, ele foi novamente condenado, a 18 anos e 4 meses de reclusão pelo assassinato de Lessandro Valdonado de Souza. Processo também está em grau de recurso.
Neste ano, Nando foi submetido ao terceiro julgamento no dia 8 de fevereiro, pela morte de Ana Cláudia Marques, sendo absolvido do crime de homicídio e condenado apenas por ocultação de cadáver, em 2 anos anos de prisão.
Dias depois, em 20 de fevereiro, ele foi condenado a 18 anos e três meses de prisão pelo homicídio de Jenifer Luana Lopes.
O quinto julgamento ocorreu no dia 10 de abril e terminou com o acusado condenado a 16 anos e três meses de prisão pela morte de Flávio Soares da Costa.
Ainda devem ser agendados os julgamentos pelas mortes das vítimas Alex da Silva dos Santos, Jhenifer Lima da Silva, Aparecida Adriana da Costa, Aline Farias da Silva, “Alemão” e Eduardo Dias Lima.
Dos casos já julgados, as penas somadas ultrapassam os 73 anos de prisão.  * Correio do Estado.
Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *