Quadrilha usava mulheres para atrair motoristas de aplicativo e levar carro para fronteira; 11 foram presos

Toda a ação, segundo a polícia de MS, era orquestrada por presos da Máxima.
A quadrilha presa durante a operação inside, deflagrada nesta segunda-feira (6), em Campo Grande, usava mulheres para atrair os motoristas de aplicativos e, em seguida, mantê-los refém em cativeiro e levar o carro para a região de fronteira. Toda a ação, segundo a polícia, era orquestrada por presos da Máxima e 11 suspeitos foram identificados.
Os policiais foram até os alvos, com apoio da Polícia Militar e a Delegacia Especializada em Repressão à Roubos a Bancos, Assaltos e Sequestros (Garras). Por volta das 5h (de MS), começaram a cumprir os mandados de prisão e de busca e apreensão.
Segundo a delegada Aline Sinnott Lopes, titular da Delegacia Especializada em Repressão ao Furto e Roubo de Veículos (Defurv), as investigações começaram em fevereiro deste ano, quando uma motorista de aplicativo foi roubada, mantida em cárcere até o momento de levar o carro dela para a fronteira do Brasil com a Bolívia.
Dois dias depois, a quadrilha roubo o carro de outra vítima, porém, o carro de cor prata foi apreendido em Corumbá pela Polícia Militar (PM), quando estava prestes a chegar no país vizinho. Na ocasião, foi preso um jovem de 21 anos e uma suspeita de 20 anos, reconhecidos pelo motorista como os suspeitos do crime.
Em março deste ano, a polícia fez novos flagrantes em Miranda, a 195 km de Campo Grande. Um rapaz de 18 anos e uma mulher de 28 anos foram presos quando tentavam vender um carro roubado. Na sequência, um suspeito de 26 anos, que era um dos responsáveis pela execução dos roubos e por manter as vítimas em cárcere privado, também foi preso. Ele é de Maceió- AL e está no Mato Grosso do Sul desde o início do ano, possivelmente, para a execução dos roubos, ainda conforme a polícia.
No mês anterior, dois suspeitos de 18 anos, além de dois adolescentes de 16 anos foram apreendidos e permanecem na Unidade Educacional de Internação (Unei). Os mais velhos estão no Instituto Penal. A polícia também localizou os mandantes dos crimes, recuperou 4 dos 6 carros roubados e disse que as buscas continuam. * G1
Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *