FILME REPETIDO? Candidato denunciado por compra de votos em Miranda alega armação

Prefeito interino é acusado de pagar R$ 40 por adesivagem em carros dos eleitores; coligação diz que teve adesivos roubados
Prefeito interino de Miranda e candidato à eleição, Edson Moraes de Souza (Patri) é acusado de comprar votos e outras irregularidades. Um eleitor gravou um vídeo negociando dinheiro para combustível em troca de adesivagem do carro, mas ele nega as acusações e fala em emboscada.
O advogado representante dos três candidatos, Osório Caetano de Oliveira, disse que as chapas fizeram representação eleitoral pleiteando a inelegibilidade do interino, caso seja eleito no dia 6 de outubro. A denúncia foi protocolada no sábado (28), no cartório eleitoral da 15° zona.
“Eu aleguei outras condutas, como o uso de funcionários públicos no comitê de campanha, em horário de serviço. O que é proibido”, diz.
Osório diz que agora é aguardar a análise de provas técnicas pelo juiz. O magistrado pode se manifestar essa semana e até impedir a candidatura do prefeito interino.
Filme repetido
O caso não causa estranheza na população, já que, nas eleições passadas, a então candidata Marlene Bossay (MDB) e o vice-prefeito Adailton Rojo Alves (PTB) também foram acusados de comprar votos e tiveram os mandatos cassados depois da posse.
Agora, um vídeo com eleitor negociando R$ 40 por semana em troca de adesivar o carro com a foto do candidato Edson Moraes circula na internet e foi enviado ao Repórter Top.
Nas imagens é possível ouvir o tal eleitor pedindo gasolina, depois há um momento em que ele entra no comitê da chapa 51 e aparenta ter recebido dinheiro. Ao final, outra pessoa efetua a colagem da imagem do candidato a prefeito.
Edson Moraes foi eleito vereador e estava na função de presidente da Câmara, antes de assumir a prefeitura em abril desse ano.
Os candidatos que entraram na Justiça Eleitoral contra o prefeito interino são: o vereador Valter Ferreira (DEM), Giorgio Cordella (SD) e José Lopes (PV).
Outro lado
Em nota a coligação Juntos por Miranda, do prefeito Edson Moraes, diz que vem sofrendo injustas e ilegais perseguições de seus opositores. Eles denunciam o sumiço de adesivos perfurados da campanha e atentado contra o vereador André Vedovato.
Para eles, o vídeo em questão é uma armação política, já que o candidato está bem colocado nas pesquisas.
No dia 24 de setembro, a coligação teria levado ao conhecimento da Justiça, que estaria em andamento o plano de armação política para denegrir a imagem do candidato a prefeito Edson Moraes. No dia 26, o suposto vídeo de compra de votos começou a circular nas redes sociais.  * Top Mídia News.
Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *