Após 40 anos, família encontra destroços de avião que matou piloto de MS

Dante de Matos Torraca, piloto do avião, era de Dourados
A família de vítimas de um acidente aéreo ocorrido em novembro de 1979 finalmente encontrou os restos do monomotor modelo Cessna 180, prefixo PT-BHG, que caiu em Trairão, na região amazônica do Pará. As informações são do UOL.
Segundo a reportagem, os destroços foram localizados há três anos por um agricultor da região, mas somente em setembro as famílias tiveram conhecimento após confirmação de que um dos documentos encontrados em meio aos destroços era de uma das vítimas.
O acidente aéreo ocorreu em 26 de novembro de 1979. O avião transportava um paciente, Manoel Abreu Silva, que precisava de cuidados emergenciais. Também estavam a bordo José Borges, vizinho do paciente, o piloto Dante de Matos Torraca e o copiloto Luiz Valcir Rovaris.
A aeronave decolou por volta das 9h30 daquele dia, partindo de Itaituba (PA), com destino a Cuiaba (MT), onde ocorreria o atendimento hospitalar. Porém, o mau tempo prejudicou o voo e a aeronave caiu na floresta, matando todos à bordo.
O local da queda era desconhecido até então e os corpos jamais haviam sido resgatados, o que também impediu um relatório conclusivo sobre o acidente aéreo e expedição de certidões de óbito.
Documento
A localização da aeronave ocorreu há cerca de três anos, por um madeireiro que conseguiu resgatar alguns documentos nos destroços. Mas, somente no último mês a família Manoel Abreu Silva foi localizada, por coincidência.
“O rapaz que recolheu os documentos não sabia quem era. Por um acaso, um conhecido meu aqui viu o nome do meu pai e trouxe esse documento aqui. A gente marcou pra ir lá com o pessoal da família dos pilotos, que mora no Mato Grosso do Sul e no Rio Grande do Sul”, relatou Silva ao UOL.
A expedição até os destroços ocorreu no último domingo (30) e foi necessário utilização de um jerico (uma espécie de trator com rodas), que atravessou a floresta por cerca de 15 km. Depois, o grupo seguiu a pé por cerca de 5 km até encontrar os destroços.
No local, foram encontradas várias peças do avião, como cauda, motor e trem de pouso. Os restos mortais não foram localizados. A família também decidiu não resgatar nada. “Não trouxemos nada, apenas vimos. É lá que deve ficar guardada a história”, comentou Silva.
Dante de Matos Torraca, piloto do avião, era de Dourados, a 225 km de Campo Grande. Ele teria, atualmente, 69 anos. Descendente direto dos fundadores da cidade, Dante era filho de Diômedes de Mattos Torraca, neto de Francisco “Pancho” Torraca e bisneto de Albino Torraca. * Midiamax.
Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *