Mulher que matou e enterrou corpo de ‘amiga’ em Chapadão do Sul vai para prisão domiciliar

Suspeita escondeu o corpo por três meses
Taynara Carolina da Silva, suspeita da morte da adolescente Ingrid Lopes Ribeiro, de 13 anos, em Chapadão do Sul, vai cumprir prisão domiciliar em breve. Ela também enterrou o corpo da vítima, que só foi descoberto três meses depois após o crime.
Conforme a Polícia Civil e o Ministério Público Estadual, a prisão domiciliar foi autorizada porque o processo ainda está em fase de investigação. Há também o fato ter tido um parto prematuro de seis meses, e com isso o bebê foi hospitalizado em Campo Grande.
A princípio, a suspeita vai usar tornozeleira eletrônica e será acompanhada por um agente de polícia enquanto o bebê estiver internado. Assim que mãe e filha tiverem alta, a mãe vai para prisão domiciliar.
A autoridade policial justificou que essa medida está dentro da lei de abuso de autoridade, que recentemente entrou em vigor.
O crime
Ingrid Lopes Ribeiro, 13 anos, foi encontrada morta na noite de quarta-feira, 22 de janeiro, na lavanderia de uma casa em Chapadão do Sul. O corpo foi encontrado com pés e mãos amarrados e sacos plásticos encontrados na cabeça.
Conforme o site Jovem Sul News, adolescente estava desaparecida há mais três meses. A casa onde o corpo foi encontrado, de acordo com a polícia, é de uma mulher envolvida com tráfico de drogas. Ela confirmou que o corpo era da adolescente.
Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *