Major da PM matou ex-namorado em legítima defesa, diz delegada

Homem que morreu com um tiro na cabeça, tinha histórico de agressão e tentou matar policial
Ferido com um tiro na cabeça, o representante comercial Hilário Bueno de Carvalho, 52 anos, morreu na noite desta quinta-feira (20) na Santa Casa de Campo Grande. Ele foi baleado por sua ex-namorada, uma major da Polícia Militar cujo nome foi mantido em sigilo pela Polícia Civil, durante discussão do casal. A Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) trata o caso como violência doméstica.
Para a delegada Fernanda Félix Carvalhok, titular da Deam, a major da PM agiu em legítima defesa. Depois do ocorrido, contou a delegada, a major ficou em estado de choque, saiu pelas ruas da Vila Carvalho, onde mora, e entregou a arma para um vizinho.
“Ele (Hilário) não aceitava o fim do relacionamento”, afirmou a delegada, que tem em seu poder, mensagens ameaçadoras que ele havia enviado à policial militar. Havia histórico de abuso contra a policial. No ano passado, em setembro, a Justiça proibiu o namorado da major de aproximar-se dela. Hilário teria agredido a policial com socos e chutes na ocasião.
Na noite de quinta-feira, Hilário teria entrado na casa da major com uma faca de 30 centímetros. Houve discussão e gritaria, segundo os vizinhos. O silêncio só veio depois do disparo. * Correio do Estado.
Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *