REVIVA CAMPO GRANDE Equipes encerram parte das obras subterrâneas na 14 de Julho

Próxima etapa será executada por concessionárias e não exigirá interdições
As obras subterrâneas do Reviva Centro foram parcialmente encerradas na última semana pela empresa Engepar Engenharia, responsável pela execução do projeto de revitalização da Rua 14 de Julho. Com isto, as concessionárias de água, esgoto, gás e telefonia irão atuar na instalação de cabeamentos e afins, o que não exigirá mais interdições. Também será feita daqui para frente a retirada dos postes e fios na extensão, entre as avenidas Mato Grosso e a Fernando Corrêa Costa.
Ainda estão interditados os trechos entre Avenida Afonso Pena e Rua Dom Aquino e Rua Maracaju e Antônio Maria Coelho para finalização das etapas subterrâneas, que estão em 80%, e ações de drenagem. No final de semana, os operários  da obra do Reviva Centro concluíram a instalação do última grande caixa de transformador de energia na Rua 14 de Julho.
O equipamento, medindo 5 metros por 3 metros, em uma escavação de 3,5 metros de profundidade, é uma espécie de uma caixa de concreto com fácil acesso para técnicos capacitados para a manutenção do equipamento ou mesmo para eventuais vistorias. Nessa caixa, num total de 10 instaladas em todas as quadras da obra, serão abrigadas todos os transformadores que fornecerão energia elétrica na nova via.
Com esse trabalho, se caminha para a conclusão das “obras enterradas” na 14 de Julho, que além de energia contém água encanada, água para hidrantes, esgoto, drenagem, tubos de fios de telecomunicações (operadoras telefônicas), gás e fibra ótica.
Conforme o sócio da Engepar, o engenheiro Carlos Clementino Moreira Filho, afirma que as obras estão dentro do cronograma e que a intenção é entregá-la finalizada para a festividades de final de ano, embora o prazo final seja no dia 5 de março de 2020. “As obras mais complicadas e pesadas já estão se encerrando e para isso, só para se ter uma ideia, foram removidos mais de 30 mil metros cúbicos de terra”, relatou.
TRANSTORNOS
Iniciada em junho do ano passado, as obras de revitalização da Rua 14 de Julho, foram alvo de reclamações dos comerciantes. As intervenções geraram queda no movimento da principal via do centro da Capital e consequentemente nas vendas. A queixa era de que a empresa não estava cumprindo o cronograma acordado entre os proprietários de estabelecimentos e a prefeitura.
Como forma de minimizar os impactos no prejuízo, os comerciantes solicitaram isenções de impostos e investimento em publicidade para incentivar as vendas. No início do mês, o prefeito Marcos Trad afirmou que livrar os comerciantes dos tributos pode abrir precedentes, no entanto, concordou em adotar o plano de mídia apresentado pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), já que os próprio projeto prevê a utilização de 3% do recurso para este tipo de ação.
A revitalização da Rua 14 de Julho é a primeira etapa do projeto Reviva Centro. Do total de US$ 56 milhões (cerca de R$ 200 milhões) emprestados do BID para execução das obras , R$ 49,2 milhões serão aplicados na revitalização da Rua 14 de Julho. O prazo total para execução desta etapa é de 22 meses.
Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *