Jamil Name Filho é transferido para Mossoró e pega até advogado de surpresa

Movimentação ocorreu na madrugada e sem aviso prévio
Jamil Name Filho, 42 anos, preso na operação Omertà, foi transferido para o Presídio Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte, na madrugada desta terça-feira (29). Ele foi levado em um voo comercial. Questionado, o advogado Renê Siufi disse que ficou sabendo da transferência pela imprensa.
“Olha, estou sabendo por vocês, aliás, a gente sabe pela imprensa. É um mistério, ninguém fica sabendo de nada”, disse.
Renê ainda destacou que Jamilzinho, como é conhecido, estava em busca de novos recursos para sua defesa. “Me parece que ele tinha entrado em contato com um advogado em São Paulo, parece, não tenho certeza ainda. Mas, vamos ver como vai ser isso”.
O empresário Jamil Name, 80 anos, ocupa cela do presídio federal de Campo Grande, e o advogado não  entrou em detalhes.
Investigação
As investigações do GAECO começaram em abril deste ano e foram instauradas para apoiar outra apuração, que estava a cargo do Garras. A Polícia Civil investigava três assassinatos, que agora são atribuídos a essa milícia, sendo que os mortos foram Ilson Martins Figueiredo, Orlando da Silva Fernandes e Matheus Coutinho Xavier.
Em maio deste ano, GAECO e Garras conseguiram prender o guarda municipal Marcelo Rios e dois colegas dele, no dia 19, de posse de um arsenal – 2 fuzis AK 47, 4 fuzis 556, 11 pistolas 9 mm, dentre outros – em uma residência no bairro Monte Líbano. Nesta apreensão houve participação do BPChoque.
Operação Omertà
A operação tem o nome de Omertà, uma referência à máfia siciliana e napolitana, que quer dizer o código do silêncio e família. A ação teve apoio de 17 equipes do Garras, Gaeco e Batalhão do Choque. Em Campo Grande, foram cumpridos 44 mandados, sendo 13 de prisão preventiva, 10 de prisão temporária e 21 de busca e apreensão. * Top Mídia News.
Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *