Costa Rica, Paranaíba e São Gabriel do Oeste são cidades consideradas com alto índice de problemas relacionados a crack

O crack é uma droga ilícita caracterizado como um subproduto da pasta da cocaína
Costa Rica, Paranaíba e São Gabriel do Oeste são três das dez cidades de Mato Grosso do Sul onde o índice de problemas relacionados a crack é considerado alto. Os dados foram divulgados em pesquisa da Confederação Nacional de Municípios (CNM), nesta segunda-feira (13). A nível nacional, 97,31% de 1.599 cidades brasileiras enfrentam problemas com consumo de drogas.
A circulação de crack foi apontada por 73,80% das cidades participantes da pesquisa. 34 municípios de Mato Grosso do Sul aparecem no levantamento. O índice é considerado médio em 16 cidades, e entre elas estão Camapuã, Cassilândia, Rio Verde de Mato Grosso e Pedro Gomes.
Um dos pontos levantados é a capilaridade do problema, que alcança pequenas e grandes cidades, mais próximas ou distantes de grandes polos ou mesmo da fronteira do país. Isso porque 87,3% dos municípios pesquisados são localidades de pequeno porte (possuem menos de 50 mil habitantes). Nos municípios sul-mato-grossenses há o agravante de localização geográfica. Por ser um estado que faz fronteira com Paraguai e Bolívia, é rota quase obrigatória do tráfico de drogas.
Conforme apurado pela reportagem, CNM disponibiliza o questionário on-line na plataforma do Observatório do crack para que o responsável, indicado pelo(a) gestor(a) municipal, tenha acesso às perguntas. A pessoa encarregada recebe uma senha de acesso e um login via e-mail. O questionário é composto por quatorze perguntas-mãe que se desdobram em outras, conforme as respostas.
Com informações do CGNEWS.
Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *