Professores buscam melhores oportunidades em prova para temporários

Provas foram realizadas na tarde de ontem, em universidades de Campo Grande e Dourados
A prova escrita para professores que desejam atuar como temporários na Rede Estadual de Ensino atraiu cerca de 24 mil concorrentes aos locais da prova, realizada na tarde deste domingo, nas cidades de Campo Grande e Dourados.
Apesar de ser realizada pela primeira vez, a prova chamou a atenção de candidatos que já atuam como professores em escolas particulares ou municipais. É o caso da pedagoga Bruna Diogo de Brito de Luz, 20 anos, recém-formada no ensino superior e que trabalha como auxiliar em uma escola particular de Campo Grande. “É a primeira vez que eu tento uma vaga na rede estadual. Vamos ver como eu vou me sair, também serve como um teste dos meus conhecimentos”, acredita. O principal atrativo para Bruna foi a remuneração. “A questão financeira pesou na decisão de participar”, explica.
Nos anos anteriores, os professores que desejavam atuar como professores convocados na Rede Estadual de Ensino realizavam apenas um cadastro na Secretaria de Educação do Estado. Essa é a primeira vez que ocorre a seleção por meio de prova escrita.
A professora Débora Rodrigues, 34 anos, que há 10 atua na área, acredita que a seleção não mudará o quadro de professores. “Eu trabalho como convocada no município e me inscrevi para tentar trabalhar no Estado, mas acho que não vai mudar muita coisa”, explica.
Já para a profissional Odélia Aparecida da Silva, 46 anos, a esperança é que a prova resulte em novas oportunidades de trabalho. “Eu sou professora convocada do município e vim tentar uma vaga no Estado”, reforça. Apesar de listada para realizar a selação na Unigran, ela errou o local da prova. “Achei que fosse na Uniderp, agora estou chamando um carro pelo aplicativo para tentar chegar no horário”, conta.
Convocação
A convocação dos aprovados será realizada de acordo com a demanda existente, em regime de suplência, ou seja, não é garantido ao candidato aprovado o direito subjetivo à convocação. No caso de convocação, remuneração para o profissional com habilitação em nível superior é de R$ 4,1 mil; para docente com curso de pós-graduação lato sensu é de R$ 4.373,27 e para os com mestrado ou doutorado é de R$ 4.510,00. Os salários correspondem a jornada de 40 horas semanais, sendo que o valor recebido pelo profissional temporário será calculado proporcionalmente a quantidade de horas efetivamente atribuídas no ato da convocação.
Uma eventual convocação será feita obedecendo a ordem classificatória. O prazo da convocação do profissional poderá ser de até um ano, podendo o prazo ser prorrogado por no máximo dois anos. Durante o prazo de validade do processo seletivo, candidatos podem ser convocados mais de uma vez, conforme necessidade da administração pública.
A etapa foi realizada em Campo Grande, nas universidades Uniderp, Uniderp Agrárias e Unigran Capital. Já em Dourados, aplicação foi na Unigran, Anhanguera e UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul). * Correio do Estado.
Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *