Bolsonaristas votam contra PL de combate a fake news em MS

Deputados Capitão Contar e Coronel David justificaram “liberdade de expressão”; David procurou a PF por duas vezes após dizer que foi alvo de notícias falsas

Os bolsonaristas, Coronel David (PL) e Capitão Contar (PRTB) votaram contra projeto de lei que pretende criar o Dia Estadual de Combate à Fake News. A dupla alegou que a proposta era um “atentado à liberdade de expressão”, durante sessão da Assembleia Legislativa desta quarta-feira (27).

Em segunda discussão, os parlamentares votaram o Projeto de Lei 316/2021, de autoria do deputado Pedro Kemp (PT). A proposta institui 4 de agosto como o Dia Estadual de Combate às Fake News. Nessa data, serão realizadas, anualmente, ações educativas de conscientização e prevenção às notícias falsas.

David justificou o voto contra. “Voto não porque tudo que se refere a fake news leva dúvida às pessoas e, principalmente, empresas que se julgam checadoras dessas fake news. Acho que é um atentado à liberdade de expressão”.

O deputado Capitão Contar, inicialmente, tinha votado a favor da proposta, mas mudou após ouvir a declaração de David. “Presidente, eu gostaria de rever o meu voto e me somar à manifestação do Coronel David. Muito pertinente. Voto não”.

A proposta foi aprovada por 13 votos favoráveis e dois contrários. Agora, segue para sanção ou veto do governo estadual.

Ao final da votação, o autor da proposta, Pedro Kemp, rebateu David. “Ser favorável à divulgação de mentiras e notícias sob alegação de defender a liberdade de expressão é um absurdo. Nós temos que combater todo tipo de notícia falsa, que têm feito mal ao país tanto na esfera da política quanto na esfera da educação e saúde”, disse, ao citar exemplos vividos na pandemia do novo coronavírus.

Vale lembrar

É importante lembrar que o deputado Coronel David registrou queixa, duas vezes, na Polícia Federal, por ter sofrido com fake news. Um episódio indicado por ele em 2018, durante a campanha, onde um vídeo foi divulgado dizendo que David estava apoiando candidatos ao Senado do PSDB e PSD, mesmo o PSL [partido dele à época] tendo uma candidata.

Já em 2019, Coronel David voltou a procurar a PF dizendo que o aparelho celular teria sido hackeado por criminosos com o objetivo de ferir sua imagem. Ele disse que hackers começaram a disparar mensagens via WhatsApp e compartilhar no stories, inverdades relacionadas ao Partido Trabalhista (PT) e a ele.

Fonte: Top Mídia News.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.