Lula costura aliança com PSD de Mato Grosso do Sul, mas Marquinhos desconversa

O ex-prefeito de Campo Grande está receoso em falar de alianças, e por enquanto caminha com o Patriotas

O ex-prefeito de Campo Grande, pré-candidato a governador Marquinhos Trad (PSD) evitou falar em alianças políticas e sobre especulações de que o PT, por meio do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, estaria tentando acordos com o PSD de Mato Grosso do Sul.

Marquinhos esteve no lançamento do programa da prefeitura ‘Todos em Ação’, no bairro Itamaracá nesta segunda-feira (2), e falou rapidamente com a imprensa.

PT e PSD?

Na semana passada, o Metrópoles divulgou que Lula teve um encontro com o presidente estadual do PSD, senador Nelsinho Trad, em um hotel de Brasília. Após isso, o senador negou o encontro, mas lideranças ligadas ao PT de MS confirmaram a reunião.

O objetivo de Lula seria uma parceria entre o PT e o PSD para ter palanque no Estado, em troca de apoio a Marquinhos. No “acordo”, o PT também teria a intenção de priorizar o seu candidato ao Senado.

Questionado se é possível uma aliança com o PT, Marquinhos foi enfático e disse que irá apoiar o candidato do partido e não outro. “Eu sou do PSD, e vou apoiar o meu candidato do PSD. Não respondo pelo Nelson e nem pelo Fábio. Eu apoio o candidato do PSD.”

PDT e PSD?

Outro partido que demonstrou que pode firmar alianças com Trad, é o PDT, que após a saída do deputado Dagoberto Nogueira, teve a direção provisória extinta pelo presidente nacional Carlos Lupi. Nessa intervenção, foi escolhido o tesoureiro nacional, Marcelo Panella, para vir até Campo Grande como interventor, conversar com as lideranças e nomear a nova direção a tempo das eleições.

Nesse imbróglio, apareceu nos bastidores o nome do advogado José Belga Trad, que é primo de Marquinhos, como um dos nomes propensos a comandar o PDT de Mato Grosso do Sul. Isso bastou para que a militância pedetista começasse a desconfiar de uma futura aliança em apoio ao nome do ex-prefeito para governo.

Sobre o assunto, o pré-candidato disse que não tem nada firmado com o PDT estadual. Ele confirma apenas o Patriota, como partido que já firmou apoio.

“As pessoas confundem muito quando um dos nossos sobrenomes ocupam uma função. Eu tenho muitos sobrinhos, médicos, engenheiros, enfermeiros, veterinários, professores na família. E o José Trad é polêmico e ele escreve as coisas na rede social dele, no Instagram dele.”

Fonte: topmídianews.
Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.